sexta-feira, 22 de julho de 2011

33 semanas e muitos desafios

Chegamos às 33 semanas... meu Deus, o tempo passou rápido...
Tanta coisa aconteceu nesses dias... brigas na familia, chorei muuuuito por conta disso, e pra fechar um bom sustinho!
Já faz dias q venho inchando, mas achando q estava tudo bem, afinal todas as grávidas incham. O problema q meu inchaço começou a chamar atenção. Fiquei com o rosto enorme e as mãos começaram a inchar também, isso sem falar nos formigamentos. Na terça-feira dessa semana, me preparei pra trabalhar, mas meu marido impediu porque eu estava muuuito inchada, fomos direto para o hospital.
La o médico me examinou, disse q ainda bem q minha pressão continua boa, porque se não estivesse teríamos q enfrentar um parto prematuro. Nessa hora meu coração gelou!
Ele me pediu alguns exames para serem feitos semana q vem, cortou totalmente o sal, porque mês passado, por conta dos inchaços, ele pediu pra só reduzir. Como os inchaços aumentaram ele cortou de vez!
E já me deixou em alerta, se eu não parar com tanto inchaço não teremos outra alternativa.... seremos obrigados a encarar o parto mesmo. Só q fora daqui, porque na minha cidade não tem UTI neo natal.
Por conta disso, já estamos com as malas prontas e a família toda em alerta. Já parei de trabalhar, estou em casa em tempo integral e quase enlouquecendo por não ter nada pra fazer, afff.

Mas estou orando pra q dê tudo certo e a Maysa venha no tempo certo determinado por Deus.
Hoje tiramos algumas fotos e estou aguardando o resultado pra postar aqui.

Beijos a todas, e fiquem com Deus.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

E o parto, como será?

Há dias venho pensando nesse momento mágico e dolorido, rs.
Outro dia, pesquisando sobre o assunto, encontrei um texto de uma mãe q optou pelo parto cesareo e explicou seus motivos. Fiquei encantada com o relato dela, e concordo q as pessoas não deveriam se meter tanto nas decisões das futuras mães.
Eu ainda não me decidi totalmente, mas estou seriamente inclinada a fazer cesariana e explico o por que:
Infelizmente, aqui onde moro, não temos a opção de ter um parto normal com analgesia. Se tivesse, juro q tentaria.
Poucos são os médicos q topam e convencem suas pacientes a terem um parto normal. Afinal dá mais trabalho, e a grande maioria dos médicos são fazendeiros, portanto pra eles é mais comodo marcar o parto q esperar a boa vontade do bebê.
Na rede pública há apenas dois médicos confiáveis para realizar partos (levando-se em conta q minha cidade possui mais de 50.000 habitantes, é um número muito pequeno). Um deles, q por sinal é meu obstetra, é disputadíssimo pelas mulheres. Tem fama de não deixar nenhuma mãe sofrer, por isso, até nos postos de saúde as mães são orientadas a terem seus bebês com ele. Os demais médicos não possuem especialização na área de obstetrícia e detestam atender grávidas. Não são raros os casos de mães q sofreram durante dias até terem seus bebês, e pior, muitos bebês acabam com sequelas por conta de negligencia.
Pra ajudar os médicos não são muito bons, atendem tanto no hospital particular quanto no público. Os hospitais daqui não são bem equipados também, por isso vivo com medo de um parto prematuro. Se os bebês necessitam de UTI, são transferidos de ambulância para a capital, Porto Velho, q fica a mais de 400 km daqui. Resumindo, boa parte dos bebês prematuros acabam não resistindo por falta de equipamentos e profissionais capacitados.

Resumindo: por medo de q possa acontecer algo com minha filha durante o parto, decidi sofrer as dores da cesarea.
O fróide é ouvir os palpites de gente q me acha louca, q eu devo encarar o parto normal e pronto.
Ah to cansada, essa é uma decisão q só cabe a mim! Nem meu marido critica, então porque tanta gente se mete onde não é chamado???
Ah faça-me o favor! Não tento impor o q penso a ninguém, então respeitem minha opinião!

Afff... desabafei!

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Dúvidas... tensões...

Estamos com 7 meses completos! Ultimo trimestre e a ficha começa a cair: em breve terei minha princesinha nos braços...
E então começam, também, as dúvidas: como será o parto? Sofrerei muito? Serei forte e suportarei as dores q me couberem? Será q darei conta de cuidar de um serzinho tão dependente? Será q darei conta de amamentar?

Me perco lendo artigos sobre esses assuntos, as vezes me assusto com alguns depoimentos... outras vezes me emociono e me encho de coragem. É impressionante essas mudanças de espírito.
Me sinto mais ansiosa, tenho observado melhor meu corpo e sinto um medo danado de ter um parto prematuro.

Desde o sexto mês tenho sentido muitas dores. Até hoje tomo dactil-ob e buscopan. Meus quadris parecem travados e doloridos. Reclamei com o médico porque não aguento mais essas dores e ele me disse q isso é preparação para o parto e q, com o passar dos dias, ficarão piores.
Então só me resta orar desejando um parto abençoado, uma recuperação tranquila e muita coragem para enfrentar os desafios da maternidade.

Beijocas e fiquem com Deus.



Editado:



Uma foto da barriga! Tirada no dia do chá de bebê, há um mês atrás... mas tá valendo, hehehe